Retrato de um Ciclope apaixonado


Bordado livre e tinta acrílica sobre tela sem chassi, 2020, 35cm x 27cm

“Quando o olhicircular Ciclope encheu o bucho de carne humana e leite puro, se deitou na gruta, em meio à rés” (Odisseia, Homero, tradução de Trajano Vieira).

A obra faz uma brincadeira estética com predominância de vermelho com o mítico Ciclope retratado por Homero no épico Odisseia (escrita, provavelmente, no século VIII a.C. a partir da cultura oral grega). É interessante o fato de personagem ser um canibal, o que gera contraste com a antropofagia praticada em rituais Tupinambás ressignificada culturalmente pela Revista de Antropofagia entre os anos 1928-1928.